Novo desafio para os candidatos a Melhor Queijeiro do Brasil

O concurso de Melhor Queijeiro do Brasil possui 3 desafios, divididos em 4 etapas. A primeira foi o desafio de fabricar um queijo de leite cru, em Nova Erechim-SC, no dia 20 de janeiro. A segunda prova também teve “start” no Sul: cada equipe recebeu dois queijos de leite cru da queijaria artesanal Pardinho para transformar através da arte da cura. O terceira desafio vai ser realizado no conforto da queijaria de cada candidato (veja quem são eles) e se encerrará no dia 13 de abril, onde será exposto o trabalho final – a última etapa será diante do público.

Da esquerda para direita: o presidente do concurso Antonio Fernandes (UFV e SertãoBras) e os jurados Patrícia Schons (IFSC), Andressa Bianchi (casa Bianchi), Elisandra Rigo (UDESC) e Juan Balestrino (Global Foods) Foto: Andressa Fusieger/SerTãoBras

“Nessa nova etapa, cada participante deverá apresentar três propostas distintas, todas elaboradas a partir de um mesmo tipo de massa”, explica Antonio Fernandes, um dos presidentes do concurso. “Os três queijos devem ser apresentados, no dia 13 de abril, em uma única tábua de 33×23 cm. Eles devem refletir as cores vibrantes do Brasil, sendo estritamente proibido o uso de corantes sintéticos. É obrigatório utilizar pelo menos uma fruta ou um vegetal na composição dos queijos. Os queijos devem possuir casca, que pode ser natural, florida, morgeada, lavada, entre outras possibilidades e, ainda, devem ser desenvolvidos exclusivamente para este concurso – não sendo permitido apresentar produtos já fabricados anteriormente”.

O queijo precisa ser delicioso!

Primeira etapa do Concurso de Melhor Queijeiro a etapa do concurso, realizada em Nova Erechim. FOTO: Andressa Fusieger/SerTãoBras

O presidente francês do concurso, Arnaud Sperat Czar ressalta: “nesta fase, será avaliada a habilidade do queijeiro em produzir um queijo seguindo normas específicas, dentro do ambiente acolhedor da queijaria. Cada participante poderá fabricar quantos queijos desejar para atingir o objetivo final – sendo que esses queijos não serão identificados com a placa de caseína da SerTãoBras, mas serão todos provados na final do concurso em São Paulo”.

A premissa fundamental é que o queijo deve apresentar características sensoriais agradáveis ao paladar dos consumidores – em outras palavras, precisa ser delicioso! Dessa forma, este ano, o comitê organizador optou pela fabricação de queijos destinados a ocasiões especiais, dando ênfase a um caráter festivo que evoca um verdadeiro festival de sabores.

Desejamos a todos os participantes um excelente trabalho, repleto de inspiração, paciência e aplicação dos conhecimentos que cada um de vocês já possui. Boa sorte!